Notícias‎ > ‎Últimas Notícias‎ > ‎

Depoimento do Atleta Antonio Sant'Anna sobre a Dona Mitiko

postado em 12 de set de 2011 12:30 por Jose Francisco   [ atualizado em 12 de set de 2011 12:33 por José Antonio Francisco ]

Essa e a historia da minha pequena grande amiga, Dona Mitiko
falando aqui de caminhada, de exercício, e dizendo que caminhar era preciso, muita gente me mandou e-mails dizendo que tem preguiça, que é tarde para começar, que não tem mais saco, essas coisas que a gente diz quando quer uma desculpa para sabotar a si mesmo. Aí, eu me lembrei da história da velhinha japonesa.
Dona Mitiko, morava em São Paulo. Já tinha mais de 60 anos. Depois de longa enfermidade, na qual ficou meses acamada, estava toda entrevada e o médico recomendou-lhe que desse uma volta no quarteirão todos os dias, apoiada em alguém. E assim ela começou. Andou escorada num parente, depois começou a andar sozinha, começou a achar uma volta pouco, deu duas, deu três, e quando já ia em vinte voltas, toda faceira, toda serelepe, alguém sugeriu que ela se reunisse ao grupo treinado pelo Wanderlei de Oliveira, diretor do departamento de corridas de rua da Federação Paulista de Atletismo, técnico especializado em corridas de longa distância e pioneiro na preparação de grupos para a Maratona de Nova York desde 1982.
Foi isso o que ela fez, e graças a uma férrea determinação, passou a treinar no Ibirapuera com outros integrantes da equipe “Run for Your Life”. E assim, Dona Mitiko Nakatani tornou-se um ícone das corridas de veteranos no Brasil. Aos 76 anos é a atual recordista brasileira de quase todas as provas de longa distância e da marcha atlética na sua categoria. Faz 10 km em pouco mais de 50 minutos, treina cinco vezes por semana, numa carga total equivalente a mais de 200 km percorridos por mês.
É um dos programas interessantes de São Paulo ir ao Ibirapuera ver “a velhinha japonesa”, como é carinhosamente conhecida, treinar. Miudinha, com menos de um metro e cinqüenta, ela faz os marmanjões sarados das academias comerem poeira quando os ultrapassa, velocíssima. O seu exemplo é inspirador para muitas pessoas como eu que pensavam que seus dias de atividade física produtiva já haviam terminado.
Graças a esta história – e a amigos que me estimularam – hoje tenho o prazer de participar de competições ao lado dessa "deusa" e ela é minha musa inspiradora para o atletismo
E na foto anexa, na minha mão direita está a maior medalha que recebi na minha vida, um presente dessa pequena no tamanho mas gigante como atleta e pessoa que é, Dona Mitiko muito obrigado por deixar eu ser seu amigo.
 
Antonio Sant´Anna
Comments